Casa das Formigas Brasil

Notícias

Compartilhe
29/04/2019

Projeto Mulheres em Moçambique

Projeto Mulheres em Moçambique

Esta semana um grupo de apoio mútuo de Mulheres da Casa das Formigas em Maputo - Moçambique coordenado pelas irmãs Marta Calixto e Rute Leal (da 1ª Igreja Presbiteriana Independente de Londrina) tiveram um tempo de refrigério e comunhão.
Uma delas mandou um recadinho para as idealizadoras do Projeto ali em Moçambique:

"Paz Marta e Rute,
Queremos compartilhar com vocês o momento marcante e especial na vida das "Graças e Glórias".
Pudermos ter um momento de refrigério e  um pouco de risadas.
Foi maravilhoso de ver alegria  e gratidão na vida de cada uma de nós.
Finalmente conseguimos com graça de  Deus
Deus abençoe vocês aí".

A Casa das Formigas Brasil teve um bate papo com a idealizadora do Projeto Mulheres da 1ª IPI de Londrina que teve sua expansão para a Casa das Formigas em Moçambique. leia a entrevista e entenda mais deste projeto lindo:

1) Como surgiu a ideia de usar o livro "Pés como os da corça nos lugares altos" para ministrar mulheres?
Surgiu através de experiência pessoal. Durante um período de crise, li o livro o qual foi muito importante para eu entender que a vida cristã é um processo contínuo.  Quando fui chamada pelo pastor Rodolfo para iniciar um trabalho com mulheres na igreja, o Espírito Santo me fez lembrar desse livro. Com ajuda da coordenação da Escola Bíblica Esperança, modelou-se o livro em 8 encontros para  facilitar a interação nos grupos. 

2) Como acontece as reuniões e qual o objetivo delas?
As reuniões acontecem aos domingos pela manhã  e às terças-feiras  no  primeiro  e segundo semestre de cada ano.
Objetiva-se crescimento espiritual entre as mulheres através do abrir de suas histórias (todas temos uma história pra contar e todas temos uma dor pra compartilhar) . Com base em Tiago 5:16, entendemos que ao confessarmos nossos pecados umas às outras o Senhor promove a cura.

3) Como é o projeto em Londrina? Quantas mulheres já foram alcançadas?
Em Londrina o projeto começou há 6 anos. O pastor Rodolfo foi sensibilizado  por Deus para um trabalho com mulheres em lutas nas diversas dores (separação,viuvez, violências diversas etc). Quando me chamou para o trabalho, sugeriu 3 mulheres para compor a caminhada e eu escolhi mais 2 outras. Iniciamos o grupo de ajuda em 5 mulheres ministrantes (Kenya, Mara, Mirtha, Mayumi, Rute e Vanessa). Não sei quantas foram alcançadas. Sei mencionar que passaram pelo curso mais ou menos 400 mulheres.
O curso é dinâmico e as situações são muito diversas. De fato cada mulher que vêm para o curso enfrenta o impacto de abrir sua alma para a outra e isso não é simples, contudo nesses 6 anos temos visto o agir do Espírito Santo promovendo curas de feridas e compreensão da identidade que todas temos em Cristo Jesus.

4) Você foi para Moçambique, na Casa das Formigas em 2018, para começar o projeto de lá. Como aconteceu? Como está funcionando? Quantas mulheres estão recebendo cuidado? Quantas estão sendo treinadas para multiplicar o projeto ali?
Sim fomos (eu e Marta) para Moçambique em 2018 com o projeto das mulheres. Uma das mulheres que participou do curso conosco, atualmente mora em Moçambique e trabalha na Casa das Formigas de Moçambique. Quando ela voltou para seu povo, sonhamos em algum tempo iniciarmos esse projeto através dela. Em 2018  pudemos ministrar um grupo de 8 mulheres que trabalham na Casa das Formigas. O objetivo é que cresçam entre si e espalhem esse processo de cura através do livro para suas igrejas, suas famílias e amigas. Levamos livros para todas e em uma semana fizemos o curso com elas de forma intensiva presencialmente. Atualmente elas se reunem regularmente para continuarem a ler o livro, abrirem seus corações. Enfim, as 8 mulheres continuam firmes em apoiarem-se mutuamente. Quando retornamos ao Brasil tentamos manter contato via vídeo de Whatsapp, mas a conexão não ajudou. Mantemos contato por mensagens de Whatsapp  regularmente. Creio que todas podem ser apoio para outras mulheres a medida que o Espírito Santo às direcionarem.

5) O que gostaria de destacar do projeto em Moçambique?
Destaco a alegria de ver o evangelho de Cristo sendo expandido de forma integral com as mulheres da Casa das Formigas. Eu creio que a salvação do ser humano é integral. Em 1 Tess.5:23 diz : "O mesmo Deus dê paz voz santifique em tudo; e todo o vosso espírito, e alma, e corpo sejam plenamente conservados irrepreensíveis para a vinda de nosso Senhor Jesus Cristo." Portanto creio que Ele levará a bom termo essa palavra para todos (as) por lá.

6) Algumas considerações finais?
Quero agradece-la pela oportunidade de falar sobre esse projeto que nasceu no coração do Pai. Cada módulo que vivenciamos com as mais diferentes mulheres e suas histórias, suas  dores vejo a boa mão do Pai conduzindo-nas  e nos conduzindo para lugares altos. Habacuque 3:19.

Você pode apadrinhar este projeto fazendo doação financeira para compra de livros para uma segunda etapa do Projeto ou ainda apadrinhando uma criança

*** Atualmente o grupo de apoio de mulheres em Londrina conta também (além daquelas citadas na pergunta 3), com:  Ângela, Libertad, Priscila, Regina, Roseli, Silvia e Zenaide.
*** Atualmente o grupo que recebe apoio em Moçambique conta com: Alzira, Ana Conceição, Carlota, Graciete, Lidia, Luria, Rosinha e Saugineta (que não está na foto)

   
  

    

  

< Veja outras notícias